RSS
Este blog não tem grandes pretensões! É apenas o meu espaço para dizer o que penso, sem que ninguém me interrompa antes que eu conclua minhas idéias. ...risos... Seja bem-vindo!

sábado, 27 de março de 2010

Pulseirinhas do Sexo - Lixo da Globalização


Mais um lixo da globalização tornando-se Tema nas escolas. Santo Deus tanta coisa importante a ser passada e perdemos tempo com isso!!! Chegaram a ligar para a minha escola certa vez pedindo para falar com a coordenação sobre o assunto. Levei um susto: Pulseirinhas do Sexo? Que isso!! Lembrei que havia visto em alunos com 5, 7, 8 anos. Desconfiei que deveria ser mais um dos grandes besteiróis que circulam pela internet, mas mesmo assim fui investigar. Eu havia usado montes delas na década de 80. Era moda. Naquela época nada tinham a ver com sexo, ou tinha e eu não sabia? Bem, o fato é que dizem que surgiram na Inglaterra. Talvez lá eles precisem de subterfúgios para fazer sexo, ou já estejam cansados dos meios normais e queiram variar. Aqui no Brasil era simplesmente moda, como foi nos anos 80 e ponto final. Ou melhor, seria ponto final se a mídia, influenciando os pais, professores e aos próprios jovens, não se encarregasse de dar um significado maior para elas. Quando tomei conhecimento dos fatos comecei de forma informal a conversar com os jovens da escola para saber como adquiriram as pulseiras. Disse que elas haviam sido febre na "minha época", que a moda vai e vem, e por aí fui. Conclusão: a maioria deles haviam ganhado as pulseirinhas da própria mãe, não tinham a menor idéia do que se tratava e muito menos sabiam sobre este tal joguinho do sexo. Gente! Seria EU o instrumento usado para ensiná-los?
Em casa, meu filho de 17 anos, que pode fazer sexo, a hora que bem entender, sem precisar do meu consentimento, pois está bem preparado, também usava uma destas pulseirinhas. Conversei com ele sobre o assunto. Ele deu uma gargalhhada:  - Mãe, jura que isso é um jogo? Como ele não parava de rir. E eu não posso ver ninguém rindo ou chorando, pois tendo a fazer o mesmo, chorava de rir também. Depois fiquei sabendo o porquê da explosão em gargalhadas. Disse ele: -Que risco eu corri! Hoje na escola arrebentei a pulseira de um amigo, e tive que dar a minha para ele...

Ainda brincando, decidimos ir para a internet saber a tal história das pulseirinhas do sexo, curiosos em descobrir qual era o sentido da cor preta (a cor da pulseira do amigo) e a branca que ele havia dado para o amigo. Depois foi uma "zoação" geral, usando a linguagem deles. Meu filho correu para o MSN para contar para o amigo, e depois foram descobrir quais as meninas tinham dado as tais pulseiras a eles (tenho certeza que elas também não conheciam a parte sórdida da brincadeira), pois não sabiam ainda a repercussão do jogo na internet, afinal, eles não visitam os mesmos sites que a gente e não recebem os mesmos emails. Isso é fato!
Aprendi uma grande lição de como usar "uma Pedagoga idiota a serviço da distribuição de conteúdos inúteis". Isso aconteceu no ano passado e ainda hoje se propaga esta "histórinha".
Gente, esquece! Nossos jovens não são tão imbecis, quanto pensamos. Vamos nos preocupar com Drogas, Sexo, Violência, mas de forma responsável, inteligente. Até porque para sermos respeitados e acreditados pelos nossos jovens, precisamos mostrar um certo grau de conhecimento dos fatos, caso contrário não nos darão créditos. Nenhuma menina vai fazer sexo por causa de uma pulseirinha se não quiser fazê-lo. Acorde! Se alguém arrebentar uma pulseirinha de uma menina qualquer e forçá-la de alguma maneira, isso é um estupro. Nenhum pedófilo neste país precisou de  pulseirinha para cometer seus crimes. Ele só precisa de uma criança inocente e de uma família ausente.
Me lembrei que nos anos 90 foi a vez dos jogos de RPG, das tais cartinhas do Digimom, e por aí vai.
A mídia vende seus folhetins, e o pior, nos usa para propagar o "besteirol"! Acho que estamos sendo mais vítimas que nossos próprios filhos. Ai, ai, coitadinho de nós!

terça-feira, 23 de março de 2010

Monteiro Lobato, Jeca Tatu , "Almanaque Fontoura" e minha Mãe - Quarteto Fantástico


“Minha mãe adorada adorava ler.” Não, isso não é um trava-línguas! É apenas a introdução para falar sobre o Jeca Tatu, um dos meus personagens infantis, entre tantos que me foi apresentado pela minha mãe, mas que era o único que, a princípio, não era um personagem infantil!
Monteiro Lobato criou o personagem Jeca Tatu, um trabalhador rural paulista, em sua obra Urupês (1918). A obra, onde está reunida uma série de 14 contos, retira todo o romantismo do caboclo - idealizado por consagrados escritores - através de duras críticas ao abandono e miséria a que eram submetidos os “Homens do Campo” pelas políticas públicas brasileiras. Mas não foi esse Jeca, criado para atacar as elites dominantes, que eu conheci, não. Eu conheci um especialmente feito por Lobato para conscientizar a população brasileira da importância do saneamento básico e de hábitos saudáveis de higiene...
 A história em quadrinhos era publicada em uma revista muito popular na época. Minha mãe era uma das tantas senhoras que corria para a farmácia à espera do Almanaque do Biotônico Fontoura (popularmente conhecido apenas por "Almanaque Fontoura"). O Almanaque teve a sua primeira publicação em 1920 e se tratava de uma simples revista publicitária do Biotônico Fontoura, um produto criado por um farmacêutico chamado Cândido Fontoura. O mais interessante é que era distribuída gratuitamente pelas farmácias do país. Suas páginas recheadas de informações e curiosidades foram idealizadas originalmente por Monteiro Lobato.

Na verdade minha mãe não devia ter a menor idéia de quem era Monteiro Lobato e nada devia saber sobre sua guerra contra as políticas de abandono. Ela nem mesmo devia saber sobre as reinações de Narizinho. Se ainda hoje no Brasil as famílias carentes não têm acesso aos livros como deveriam, imagine em 1935? Nascida no Interior do Estado do Rio de Janeiro, no mesmo ano em que o Almanaque foi publicado pela primeira vez, minha mãe cresceu ouvindo as venturas e desventuras do Jeca Tatu . As histórias contadas por seu pai, homem do campo que, evidentemente, devia se ver no personagem, foram as únicas lidas em uma publicação. Todas as outras, deste grande "Contador de Histórias" foram criadas por ele mesmo, ou por seus conterrâneos. Quando tinha 4 aninhos, minha mãe começou a ouvir no rádio (único meio de comunicação na fazenda), as noções de higiene e saneamento que o personagem Jeca Tatuzinho, recém criado nas rádios, ensinava às crianças. Cresceu com o Jeca e esperando ansiosamente o dia em que conheceria a cidade grande.
Aos 15 anos, minha mãe abandonou os canaviais para morar com sua irmã mais velha na Cidade Maravilhosa, finalmente realizando seu maior sonho: ler e escrever. Não parou mais de ler, mas sempre foi fiel aos almanaques. Depois que viu uma infinidade deles, dos mais variados tipos e assuntos, então! Já não precisava mais ficar esperando pela publicação gratuita nas farmácias, como seu pai fazia em sua pequena Chave do Paraíso. Agora era só ir na esquina que poderia comprar uma infinidade de almanaques, revistas e até livros. Mas mesmo com tamanha diversidade sempre foi fiel ao seu querido Jeca Tatu e sempre voltava nas farmácias em busca do novo número do "Almanaque Fontoura"! Tanto que ele também povou meu universo infantil, mesmo depois de 35 anos. O Jeca, considerado preguiçoso, alcoólico e imbecil, mas que na verdade sofria de amarelão, verminose causada por falta de saneamento e asseio, sempre foi usado para me convencer a tomar banho e escovar os dentes. Afinal, depois de devidamente cuidado o Jeca Tatu se tornava um rico fazendeiro. Até hoje me lembro do último quadrinho no Almanaque, onde todos no sítio do Jeca estavam devidamente calçados. Até o porquinho usava botinas! Que historinha atual, não é?

domingo, 21 de março de 2010

21 de Março - Dia Internacional de Luta Contra a Discriminação Racial


Em 21 de março de 1960, na cidade de Joanesburgo, na África do Sul, aproximadamente 20.000 negros protestavam contra a lei do passe, que os obrigava a portar cartões de identificação, especificando os locais por onde eles podiam circular. Apesar de ser uma manifestação pacífica, o exército atirou sobre a multidão assassinando 69 pessoas e ferindo 186 pessoas. A Organização das Nações Unidas - ONU - instituiu o dia 21 de março como o Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial em memória dessa selvageria, conhecida como " Massacre de Shaperville".
A independência da Etiópia, em 21 de março de 1975, e da Namíbia, em 21 de março de 1990, ambos países africanos, também foram conquistas importantes que influenciaram na escolha da data para se comemorar a luta pelo fim da Discriminação Racial.
Segundo a Convenção Internacional para a Eliminação de todas as Normas de Discriminação Racial da ONU "Discriminação Racial significa qualquer distinção, exclusão, restrição ou preferência baseada na raça, cor, ascendência, origem étnica ou nacional com a finalidade ou o efeito de impedir ou dificultar o reconhecimento e/ou exercício, em bases de igualdade, aos direitos humanos e liberdades fundamentais nos campos político, econômico, social, cultural ou qualquer outra área da vida pública" (Art. 1). Lendo o artigo, observamos que não estamos nem na metade do caminho para eliminar de vez da sociedade toda e qualquer forma de discriminação racial...
 Podemos comemorar as leis criadas para proteger os discriminados, afinal, mesmo que não se mude a consciência de uma pessoa preconceituosa, a lei a obriga a mantê-la devidamente escondida nos recôndidos de sua alma. É fato, no entanto, que ainda temos um longo caminho de conscientização pela frente. Existe um processo velado de exclusão presente em nossas atitudes. Entre as crianças é mais fácil percebê-lo, pois ainda não se intimidam com as penalidades legais. Em anos passados quando estava na moda promover concursos do tipo "Beleza Negra", a escola onde trabalho teve a infeliz idéia de realizar um desse infames concursos. O resultado foi que ele não pode ser realizado, pois nenhuma das meninas se considerava "negra". Intitulando-se "morenas" simplesmente não poderiam se increver em um concurso para Negras. Quer coisa mais separatista que um concurso realizado só para Negras. Por que? Será que uma Negra não tem a menor chance em um concurso para "Brancas". Ah! Esqueci que não pode ser realizado um concurso só para "Brancos"! Talvez não se quisessem colocar os jurados (todos professores) em uma situação constrangedora, fazendo-os ter que escolher entre uma menina branca ou negra, ou morena, como queiram. Talvez até pior, para ser "politicamente correto" escolhessem uma menina negra, mesmo que não fosse a mais bonita, ou simpática, na tentativa de mostrar para todos na escola que não existe lugar para peconceito no nosso ambiente. Este tipo de equívoco tem que ser corrigido o quanto antes. A verdade é que não se conserta um erro com outro. Existe tantas formas saudáveis de se promover a inclusão, a conscientização e finalmente o fim da discriminação, mas no Brasil sempre se escolhe os extremos. Não preciso dizer que sou completamente contra esse movimento de Valorização do Negro através da imposição de conceito e valores. A começar pelo fato que uma Branca pode tingir seu cabelo da cor que quiser, pode enrolar, alisar, raspar, já a negra que alisa seus cabelos está negando a raça! Quanta intransigência! Mulher é mulher, independente da sua raça. Não é este o caminho para o fim da discriminação racial. Muito pelo contrário, atitudes como essa fomentam o preconceito. Mas como é melhor tentar e errar do que não tentar, nossa luta apenas começou, o caminho é longo, e os primeiros passos, mesmo que falseados, já foram dados. Agora é seguir em frente e derrumar as barreiras do preconceito racial, seja contra o Negro, ou contra o Branco, contra o Iraniano, ou contra o Brasileiro... Xiiii!!! Preconceito contra a própria raça é passível de punição legal? Se for, muitos brasileiros vão parar atrás das grades! Dia 21 de março, Dia Internacional de Luta Contra a Discriminação Racial, afinal, somos todos iguais não apenas perante a lei, ou perante Deus, somos iguais através de comprovação científica e ponto final!
“Lutar pela igualdade sempre que as diferenças nos discriminem; lutar pelas diferenças sempre que a igualdade nos descaracterize.”  Boaventura de Souza Santos

sábado, 20 de março de 2010

Dinâmicas de Grupo

Reuniões podem ser muito gratificantes, ou muito entediantes. Pensando no Centro de Estudos que será realizado na minha escola na próxima semana, resolvi dar uma olhada em algumas dinâmicas por aí. Separei algumas que achei interessante e claro, fiz algumas adaptações. Hoje tô com preguiça e só vou postar essas, mas depois coloco outras bem divertidas. Prometo!



Dinâmica: "O feitiço virou contra o feiticeiro"


Objetivo: Não faça aos outros o que não deseja que seja feito a você!

Material: papel e caneta

Procedimento: forma-se um círculo, todos sentados, cada um escreve uma tarefa que gostaria que seu companheiro da direita realizasse, sem deixá-lo ver. A tarefa escrita no papel será realizada pela própria pessoa que a escreveu. Espero que seja algo simples, pois o “feitiço virará contra o feiticeiro”.

Respeito ao próximo!

Dinâmica: "da Historinha"



Objetivo: Treinar a memorização e atenção.

Procedimento: Todos devem estar posicionados em círculo de forma que todos possam se ver. Um dos participantes será o escriba e vai escrevendo a história conforme vai sendo criada pelos participantes.

O organizador da dinâmica deve ter em mãos um objeto pequeno, um brinquedinho talvez, por exemplo: um cavalinho preto. Então começa-se a historinha...”Era uma vez um cavalinho negro que vivia em uma fazenda”... Em seguida deve passar o objeto à pessoa ao seu lado que deverá acrescentar mais uma parte da história e assim sucessivamente até que o último participante finalize a história.

Cria-se cada história engraçada!



Uma variação desta dinâmica consiste em se escolher um objeto, por exemplo, o cavalinho, e vai-se formando a história palavra por palavra. Neste caso o participante começa: cavalo. Outro acrescenta: cavalo preto. Um terceiro diz: cavalo preto forte. E assim sucessivamente. O importante é que seja repetido sempre as palavras já ditas. Aquele que errar primeiro a sequencia paga uma prenda.


Dinâmica: "Recital das Almas Gêmeas"

Objetivo: É uma atividade muito divertida, que tem como objetivo a descontração e a aproximação entre os membros do grupo.

Material: papel e caneta

Procedimento: Divide-se a turma em duas equipes. Em papeis serão escritas mensagens que se completam, textos e pensamentos conhecidos, são ótimas opções. Mas pode-se escolher também perguntas e respostas, ou textos não tão conhecidos. Cada participante deverá pegar um papel, sem deixar que seus colegas vejam o que está escrito. Um primeiro participante lê seu papel e em alguns segundos sua “alma gêmea”, aquela que tem a continuação do texto, ou a resposta da sua pergunta deverá se manifestar ou pagar uma prenda. Esta dinâmica pode ser usada também após a leitura de um texto por meio de perguntas e respostas acerca do que foi estudado ou discutido. Ótima para avaliação diagnóstica!

Amar ao Próximo.


Duração: 30 min.

Material: papel, lápis.

Divida a turma em grupos ou times opostos.

Sugira preparar uma gincana ou concurso, em que cada grupo vai pensar em 5 perguntas e 1 tarefa para o outro grupo executar.

Deixe cerca de 15 minutos, para que cada grupo prepare as perguntas e tarefas para o outro grupo.

Após este tempo, veja se todos terminaram e diga que na verdade, as tarefas e perguntas serão executadas pelo mesmo grupo que as preparou.

Observe as reações. Peça que formem um círculo e proponha que conversem sobre:

Se você soubesse que o seu próprio grupo responderia às perguntas, as teria feito mais fáceis?

E a tarefa? Vocês dedicaram tempo a escolher a mais difícil de realizar?

Como nos comportamos no nosso dia a dia? Queremos que os outros executem as tarefas difíceis ou procuramos ajudá-los?

Agora todos juntos devem cumprir as tarefas sugeridas, respondendo as questões.

quarta-feira, 17 de março de 2010

O Petróleo pode ser do Brasil, só queremos os Royalties!


O Petróleo é do Brasil! E a União recebe 40% dos royalties, sem contar os inúmeros impostos sobre o produto. Então que palhaçada é essa de dizer que o petróleo está no mar a sei lá quantas milhas de distância e sendo assim é de todos os estados? Não vai demorar e o resto do mundo também vai querer sua fatia do bolo. Afinal, o MAR pertence ao planeta! Olha que os Estados Unidos são famosos por invadir os países dos outros em busca de petróleo! Ainda por cima, para justificar o ato, vai dizer que seu Serviço Secreto descobriu que o Osama está escondido em uma favela carioca.
Bem, brincadeiras e politicagens a parte, o Petróleo não é só extraído, ele é também distribuído, refinado, e  que eu saiba esta distribuíção não é feita através de submarinos, mas sim por navios e caminhões, necessariamente nesta ordem, ou seja, atravessam todo o nosso estado. A terceira maior refinaria da Petrobrás se encontra no município de Duque de Caxias, que tem o seu subsolo tomado pelos dutos que levam o produto bruto para seu interior. Então me diga o porquê de um município lá no interior do Rio Grande do Sul, ter direito aos benditos Royalties, se não existe um único duto passando por suas avenidas? Francamente! A parte do Petróleo que lhe caberia deveria ser repassada através dos impostos levados pelo Governo Federal.
A não ser...
Pensando bem...
Talvez tenham razão aqueles que defendem a idéia de uma divisão justa! Afinal, as terras do Brasil, pertencem ao povo brasileiro, certo? Não a este, ou aquele estado. "Taí tô começando a gostar da brincadeira!" Todos os Estados dividirão sua produção, seja lá do que for, com todos os demais estados do país. Será uma verdadeira distribuição de renda! Vamos pedir ao Ibsen para redigir o projeto de lei, combinado? Ele sabe como repartir os recursos públicos.
Aliás, sabemos que o Sr. Ibsen Pinheiro tem fascínio por recursos públicos.Também é fato comprovado que sua reputação é proporcional a sua altura! Tanto que o rastreamento das suas contas bancárias acabou destituindo-o do cargo de presidente da Câmara, lá em meados de 1993, quando fazia parte do grupo de congressistas corruptos, que todos conhecemos pelo nome de "Anões do Orçamento".
Pelo menos a passeata de hoje pelas ruas do Rio, serviu para fazer com que nossos governantes pensam bem antes de mandar a polícia reprimir com violência manifestações de Professores, Ambulantes, Tropiqueiros e Trabalhadores em geral, pois um dia pode ser preciso que eles se manifestem.
Será que nossos governantes têm a memória tão curta quanto o povo? Devem ter. Isso é mal de brasileiro!

sexta-feira, 5 de março de 2010

Dia Internacional da Mulher



Em comemoração ao Dia 8 de março, separei algumas das melhores frases sobre a alma feminina:

"Mulheres são como a Lua: com suas fases, às vezes ficam escondidas, mas nunca perdem seu brilho encantador." (Autor desconhecido)


"Uma mulher leva vinte anos para fazer do seu filho um homem - outra mulher, vinte minutos para fazer dele um tolo." (Helen Rowland)

"Se não fosse as mulheres, o homem ainda estaria agachado em uma caverna comendo carne crua. Nós só construímos a civilização com fim de impressionar nossas namoradas." (Orson Wells)

"Uma mulher bonita não é aquela de quem se elogiam as pernas ou os braços, mas aquela cuja inteira aparência é de tal beleza que não deixa possibilidades para admirar as partes isoladas." (Séneca)

"As mulheres, durante séculos, serviram de espelho aos homens por possuírem o poder mágico e delicioso de refletirem uma imagem do homem duas vezes maior que o natural." (Virginia Woolf)...
Related Posts with Thumbnails
 
Copyright 2009 Professora Maluquinha Powered by Blogger
Blogger Templates created by Deluxe Templates
Wordpress by Ezwpthemes