RSS
Este blog não tem grandes pretensões! É apenas o meu espaço para dizer o que penso, sem que ninguém me interrompa antes que eu conclua minhas idéias. ...risos... Seja bem-vindo!

sexta-feira, 30 de abril de 2010

TDAH – Atenção Profissionais da Educação!

var029
Queridos colegas de trabalho,  maluquinhos ou não, respondam ao questionário abaixo com Nem um pouco, Só um pouco, Bastante ou Demais! Pense bem e Seja bem sincero!
1. Não consegue prestar muita atenção a detalhes ou comete erros por descuido nos trabalhos da escola ou tarefas.
2. Tem dificuldade de manter a atenção em tarefas ou atividades de lazer
3. Parece não estar ouvindo quando se fala diretamente com ele
4. Não segue instruções até o fim e não termina deveres de escola, tarefas ou obrigações.
5. Tem dificuldade para organizar tarefas e atividades
6. Evita, não gosta ou se envolve contra a vontade em tarefas que exigem esforço mental prolongado.
7. Perde coisas necessárias para atividades (p. ex: brinquedos, deveres da escola, lápis ou livros).
8. Distrai-se com estímulos externos
9. É esquecido em atividades do dia-a-dia
10. Mexe com as mãos ou os pés ou se remexe na cadeira
11. Sai do lugar na sala de aula ou em outras situações em que se espera que fique sentado
12. Corre de um lado para outro ou sobe demais nas coisas em situações em que isto é inapropriado
13. Tem dificuldade em brincar ou envolver-se em atividades de lazer de forma calma
14. Não pára ou freqüentemente está a “mil por hora”.
15. Fala em excesso.
16. Responde as perguntas de forma precipitada antes delas terem sido terminadas
17. Tem dificuldade de esperar sua vez
18. Interrompe os outros ou se intromete (p.ex. mete-se nas conversas / jogos).


Este é o questionário oficial da Assossiação Brasileira do Déficti de Atenção. É só entrar no site e imprimir o seu, levar para a escola e constatar que talvez todos os alunos da sua turma sofram deste distúrbio. Segundo a ABDA, se uma criança marcar pelo menos 6 itens como “BASTANTE” ou “DEMAIS”, existe mais sintomas de hiperatividade e impulsividade que o esperado.
Eu marquei como Bastante, quase todos! E você? Imagine uma criança então!
Antes de sair encaminhando seu aluno para o neurologista, ou mesmo seu filhote, saiba que este questionário SNAP-IV é útil para avaliar apenas o primeiro dos critérios (critério A). Faz-se necessário uma complementação do diagnóstico através de outros:
  • Alguns desses sintomas devem estar presentes antes dos 7 anos de idade.
  • Existem problemas causados pelos sintomas acima em pelo menos 2 contextos diferentes (por ex., na escola, no trabalho, na vida social e em casa).
  • Há problemas evidentes na vida escolar, social ou familiar por conta dos sintomas.
  • Se existe um outro problema (tal como depressão, deficiência mental, psicose, etc.), os sintomas não podem ser atribuídos exclusivamente a ele.
Portanto, o diagnóstico definitivo só pode ser fornecido por um profissional. Como bons profissionais não são encontrados em cada esquina, procure ajudar ao máximo seu aluno com atividades diversificadas, interessantes, prazerosas. Chame a atenção dele, ajude-o a lembrar-se das atividades que precisa realizar. Toda criança é capaz de aprender. Crianças Deficientes Mentais aprendem. Por que uma criança com possível TDAH, não aprenderia? 
A responsabilidade com a saúde é do médico. A responsabilidade com a educação é nossa. O médico pode curar a doença, mas não é capaz de fazer a nossa parte: Educar para a inclusão social. Portanto professores, vamos a luta!

quarta-feira, 28 de abril de 2010

TDAH – Essa Moda Vai Pegar!

gif16
Tudo bem que seu filhote, ou mesmo seu aluno, não seja  um “anjinho”, exemplo de bom comportamento e comprometimento com os estudos, mas daí a classificá-lo como TDAH, já é um exagero. Não estou negando a existência do Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) , como muitos fazem, acusando-o  inclusive  de ser  uma “invenção” médica ou da indústria farmacêutica, para terem lucros com o tratamento. Longe de mim me meter nesta briga de “cachorros grandes”! Mas que  a tal de TDAH está virando moda, ah isso tá! 
Toda criança que facilmente se distrai por estímulos fora do ambiente interno, que tem dificuldades para manter atenção em atividades longas e  repetitivas, ou que não prestam a menor atenção nos assuntos que não lhe são interessantes – alguns dos sintomas de quem sofre com o transtorno neorológico -  entra, quase que automaticamente, para a lista de suspeitos de “sofrer do mal”. O distúrbio não se caracteriza apenas pelos sintomas descritos acima e não há um exame laboratorial que possa complementar ou confirmar a análise realizada em consultório através de questionários, depoimentos e entrevistas. Por essas razões é muito importante procurar informações sobre o assunto e procurar um especialista confiável, que possa fornecer um diagnóstico seguro e   um tratamento eficaz.  Segundo dados estatísticos cerca de 3 a 5% das crianças em todo o mundo sofrem com a doença.
Peraí!!! Só isso! Não acredito! O número deve ser muito maior, na verdade tenho a nítida impressão que 99% das crianças e pelo menos 90% dos adultos, não prestam atenção quando o assunto não é interessante, quando as atividades são muito extensas ou repetitivas, ou ainda, se um lindo canário pode ser avistado, pousado em uma árvore,  da janela da sala onde estamos  “concentrados”, por exemplo, assistindo a uma palestra sobre  TDAH. Será que estou enganada? Sofro do tal transtorno e minha mãe e professora nunca perceberam? Será que estou na fase da negação?
Ainda bem que já cresci, pois seria uma forte candidata à sala do neuropsiquiatra caso minha mãe tomasse conhecimento do fato quando eu era pequena. Ela sempre dizia que eu era “avoadinha”. Principalmente na igreja. Meu Deus, me perdoe, mas era um tormento! Um dia lindo de sol no Rio de Janeiro, e eu ali ouvindo o padre falando as maravilhas que Deus criou. Isso eu podia avistar dali mesmo. Por que ele não me deixava agradecer a Deus na prática, brincando nas areias daquela linda praia? E a professora, então! Eu com um quintal maravilhoso, cheio de joaninhas, árvores, cachorrinhos, gatinhos e colegas me esperando, e ela insistindo com aqueles cálculos horrorosos. É demais, para uma pobre criança!
Segundo a  ABDA – Assossiação Brasileira do Déficti de Atenção -  o “Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) é um transtorno neurobiológico, de causas genéticas, que aparece na infância e freqüentemente acompanha o indivíduo por toda a sua vida. Ele se caracteriza por sintomas de desatenção, inquietude e impulsividade.”  Mas não é tão frequente visto que uma parcela mínima da população sofre do mal.
Crianças são ativas, curiosas, questionadoras e parecem estar sempre  a “mil por hora”.  E cá para nós, devem correr mesmo pois a infância é muito curta. Aos meus amigos professores e pais preocupados e atentos eu digo  que não se precipitem, pois podem acabar levando crianças perfeitamente normais, inquietas pelo  instinto natural de viver, para consultórios de medicos despreparados e precipitados, que lhe receitarão drogas perigosas, que poderão comprometer-lhes, verdadeiramente, o futuro. Lembre-se sempre:  Nem toda moda deve pegar!
Agora vou dormir e relaxar da minha hiperatividade de hoje. Amanhã vou voltar a esse assunto, e dar umas dicas para meus colegas de trabalho  “maluquinhos”,  de como se prevenir para evitar ser influenciado pelos modismos.

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Bullyng – A Escola não pode se omitir!

gif2
Bullying  é um termo inglês utilizado para descrever atos de violência física ou psicológica, por um indivíduo ou grupo de indivíduos que queiram intimidar, ou humilhar aqueles que eles consideram mais fracos, ou inferiores. Bully é o termo inglês para valentão. Apesar de muitos destes valentões já terem sido vítimas de bullyng, o que acabou por transformar a vítima em agressor, essa não é a regra. Muitos estudiosos do assunto  relatam que na maioria dos casos, os agressores não sofrem de qualquer déficit de auto-estima. Na verdade, são portadores de personalidades fortes e dominadoras combinadas com atitudes preconceituosas sobre aqueles que consideram inferiores. Para atormentar suas vítimas utilizam técnicas combinadas de intimidação e humilhação, e quanto antes este comportamento for percebido na criança, mais fácl que seja trabalhado e extinto. A verdade é que muitos pais acham “bonitinho” o filho mostrar sua coragem, e acabam confundindo comportamentos iniciais de bullyng com personalidade forte, liderança  e determinação. Sem o devido conhecimento dos fatos  acabam reforçando atitudes discriminatórias e excludentes, contribuindo para um comportamento violento e transformando seus filhos em verdadeiros bullies.
Se para a família talvez seja difícil perceber se seu filho é vítima ou agressor, para a escola o problema só se agrava pela omissão, pois são facilmente percebidos no cotidiano.
Esta semana decidimos que o circuito de palestras anuais em nossa escola, começaria com este tema. Contratamos uma ONG, aqui do Rio de Janeiro, chamada Aliança Vida e  Familia-  vidaefamilia@vidaefamilia.org  -  para realizar as palestras. Entre as palestras agendadas, encontram-se: Bullyng, Relação Familiar Saudável ( para pais e responsáveis), Drogas, Sexualidade e  Gravidez Indesejada. A ong pede a contribuição de R$ 40,00 para despesas com locomoção, e rateamos este valor entre os professores. Começamos com Bullyng, pois acreditem, muitos dos nossos jovens não tem a menor idéia do que se trata! Acham que não passa de brincadeira o abuso psicológico ou verbal que sofrem ou cometem uns contra os outros. Teve adolescente que chorou ouvindo a palestra. Prova do quanto estas atitudes violentas estão  presentes na vida deles, e muitas vezes sequer temos conhecimento dos fatos. Assumimos o compromisso de darmos continuidade ao tema  em sala de aula, levando sempre que possível, recortes de jornais contando atitudes discriminatórias e violentas praticadas por bullyng, de foma a esclarecer nossos alunos e  inibir este tipo de comportamento na comunidade escolar. Estando atento para não nos omitirmos diante destes fatos em nossa escola, ao espalharmos a “sementinha do bem” entre nossos alunos, estaremos contribuindo para reforçar prática positivas que certamente se alastrarão para além dos portões escolares.
Desde que deixamos de ser professores e passamos a ser educadores, assumimos esta árdua tarefa, muito mais abrangente  e para a qual as vezes nem preparados estamos, a tarefa de educar os filhos dos outros para além das práticas escolares. Depois reclamam dos conteúdos escolares mínimos obrigatórios!  Bem, isso é assunto para outra postagem, o importante é que temos consciência de que, justo ou não, procuramos cumprir nossa missão!
Technorati Marcas: ,,, 

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Salve Jorge!

são jorge2
A  história de São Jorge é muito antiga e envolta em lendas, por isso o Papa Paulo VI, durante o Concílio Vaticano II (1962-1965), retirou do calendário litúrgico as comemorações dos santos dos quais não havia documentação histórica. Mas São Jorge...

quarta-feira, 21 de abril de 2010

O Brasil não descobriu o Brasil, ainda!

descobrimentobrasil Este finalzinho de abril tem tantas datas comemorativas que acaba dificultando a vida do professor. Aniversário de Monteiro Lobato, dia do livro, dia do indio, Tiradentes, Descobrimento do Brasil, uma comemoração atrás da outra e haja livrinhos, penachos, inconfidentes e… se anda der tempo, uma passadinha pela história do descobrimento. Há alguns anos, pelo menos nos anos inicais do ensino fundamental, tinhamos a ilusão de ter um país rico, bonito, alegre. Chegamos mesmo a ter orgulho de ser brasileiro. Pena que esse orgulho seja substituído por um terrível  complexo de inferioridade  antes mesmo de alcançarmos a maioridade. Salvo os melhores jogadores de futebol e as melhores bundas, todo o resto é sempre o pior. O pior carro, as piores escolas, os piores  governantes, os maiores índices de violência, as pessoas mais mal educadas, o presidente mais boçal, entre muitas outras características depreciativas. Se ganhamos a disputa pelas olimpíadas , isso não é grande coisa, pois só ganhamos porque os outros não a queriam. Engraçado, que a popularidade do Obama chegou a cair nas pesquisas feitas nos dias seguintes à derrota, tendo os principais jornais dos Estados Unidos noticiado o fato, com destaque. Se nosso presidente é elogiado e respeitado lá fora, grandes coisas, agem como se ele fosse um louco, participando do cenário mundial sem ter sido convidado, um penetra. Puro preconceito! Temos a maior floresta tropical do mundo e a maior floresta urbana do mundo, a Amazônia e a Floresta da Tijuca (Rio de Janeiro) respectivamente, enquanto o restante do mundo não as tem porque já as destruíram há muito tempo. E   agora mostram-se terrivelmente preocupados com a nossa! 
Segundo dados retirados da Antropos Consulting, empresa dirigida pelo antropólogo Prof. Luiz Almeida Marins Filho, o Brasil é o país que tem tido maior sucesso no combate à AIDS e de outras doenças sexualmente transmissíveis, e vem sendo exemplo mundial  (sem contar que salvou muitas vidas ao quebrar a patente dos remédios para aids, que era de difícil acesso para os mais carentes); Em uma disputa com 50 cidades de diversos países, a cidade do Rio de Janeiro foi considerada a mais solidária; O  Sistema do Tribunal Regional Eleitoral, informatizado em todas as regiões do Brasil, divulga os resultados  das eleições em menos de 24 horas depois do início das apurações. O modelo chamou a atenção de uma das maiores potências mundiais: os Estados Unidos, onde a apuração dos votos teve que ser refeita várias vezes, atrasando o resultado e colocando em xeque a credibilidade do processo; Somos a terceira maior democracia do mundo; Nosso mercado editorial de livros é maior do que o da Itália, com mais de 50 mil títulos novos a  cada ano; Apesar de todas as mazelas, o Congresso está punindo seus próprios membros, o que raramente ocorre em outros países ditos civilizados”;  No Brasil, há 14 fábricas de veículos instaladas e outras 4 se instalando, enquanto alguns países vizinhos não possuem nenhuma; Das crianças e adolescentes entre 7 a 14 anos, 97,3% estão estudando; O Brasil é o único país do hemisfério sul que está participando do Projeto Genoma; O mercado de telefones celulares do Brasil é o segundo do mundo, com 650 mil novas habilitações a cada mês; Na telefonia fixa, o país ocupa a quinta posição em número de linhas instaladas; Das empresas brasileiras, 6.890 possuem certificado de qualidade ISO-9000, maior número entre os países em desenvolvimento; O Brasil é o segundo maior mercado de jatos e helicópteros executivos; Nossas agências de publicidade ganham os melhores e maiores prêmios mundiaiais; É considerado o país mais empreendedor do mundo e  mais de 70% dos brasileiros, pobres e ricos, dedicam-se a trabalhos voluntários. O IBGE, através da Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílios, publicou em outubro de 2009 os mais recentes dados sobre o Brasil, é só passar no site e conferir.  “Nesta análise, não queremos afirmar que o Brasil não tem problemas. É claro que tem e muitos. Apenas queremos mostrar o lado cheio do cálice chamado Brasil que nem sempre temos a chance de conhecer” , afirma convicto o professor Luiz Almeida. E eu concordo em gênero, número e grau!
Temos que parar de ressaltar apenas os aspectos negativos, exportar nossos problemas e desmerecer nossas conquistas.
Nova Iorque, na minha adolescência, era a cidade mas violenta do mundo. E acredite, não sou tão velha assim! Chicago era a mais corrupta, e ainda existe muita corrupção por lá. Muitos dos problemas deles foram sanados com extrema violência e crueldade. Será que estamos prontos para implantar um sistema assim aqui?  Eles são mas velhos que nós 50 anos, ainda vamos chegar lá!  Não vou falar da Holanda, Alemanha  e  outros países, principalmente da Europa, pois seria até injusto dado o tamanho, a população e a idade deles. Só estou usando os Estados Unidos como referência, pois ele é o “modelo padrão” para a maioria  dos brasileiros, mesmo que muitos não assumam isso. Além do mais estão mas próximos de nós em tamamho e idade.
O brasileiro compra essa visão de “mundinho perfeito” vendida por estas potências e acha que aqui tá tudo errado.  Acredite, não está! Temos muito do que nos orgulhar, e não estou falando  das nossas belas mulatas e dos nossos craques de futebol, não. Estou falando em ciência, tecnologia, educação, arte e comportamento humano.  Somos um “País Menino”, ainda estamos na escola. Temos muito o que aprender e já estamos até ensinando.
“Diante de nações que tem milênios, nós apenas temos 510 anos!” Este menino vai longe!
Parabéns Brasil!

sábado, 17 de abril de 2010

PIAGET E VYGOTSKY ou PIAGET x VYGOTSKY

61
Licurgo um legislador grego que acredita-se ter vivido no século quatro, antes de Cristo, foi convidado a proferir uma palestra a respeito de educação. Aceitou o convite mas pediu, no entanto, o prazo de seis meses para se preparar. O fato causou estranheza, pois todos sabiam que ele tinha capacidade e condições de falar a qualquer momento sobre o tema e, por isso mesmo, o haviam convidado.
Transcorridos os seis meses, compareceu ele perante a assembléia em expectativa. Postou-se à tribuna e logo em seguida, entraram dois criados, cada qual portando duas gaiolas. Em cada uma havia um animal, sendo duas lebres e dois cães. A um sinal previamente estabelecido, um dos criados abriu a porta de uma das gaiolas e a pequena lebre, branca, saiu a correr, espantada. Logo em seguida, o outro criado abriu a gaiola em que estava o cão e este saiu em desabalada carreira ao encalço da lebre. Alcançou-a com destreza trucidando-a rapidamente.
A cena foi dantesca e chocou a todos. Uma grande admiração tomou conta da assembléia e os corações pareciam saltar do peito. Ninguém conseguia entender o que Licurgo desejava com tal agressão. Mesmo assim, ele nada falou. Tornou a repetir o sinal convencionado e a outra lebre foi libertada. A seguir, o outro cão. O povo mal continha a respiração. Alguns mais sensíveis, levaram as mãos aos olhos para não ver a reprise da morte bárbara do indefeso animalzinho que corria e saltava pelo palco. No primeiro instante, o cão investiu contra a lebre. Contudo, em vez de abocanhá-la deu-lhe com a pata e ela caiu. Logo ergueu-se e se pôs a brincar. Para surpresa de todos, os dois ficaram a demonstrar tranqüila convivência, saltitando de um lado a outro do palco. Então, e somente então, Licurgo falou;
"Senhores, acabais de assistir a uma demonstração do que pode a educação. Ambas as lebres são filhas da mesma matriz, foram alimentadas igualmente e receberam os mesmos cuidados. Assim igualmente os cães.”
O autor do texto acima é desconhecido, mas não poderia ter texto melhor para ilustrar minhas considerações sobre Piaget e Vygostsky. Piaget  privilegia os aspectos a maturação biológica, assim sendo, o desenvolvimento da criança segue uma seqüência fixa de estágios, onde os fatores internos preponderam sobre os externos. Vygotsky privilegia o ambiente social reconhecendo que se esse ambiente variar, o desenvolvimento cognitivo da criança também sofrerá variações. Para Vygotsky não se pode aceitar uma visão única, universal, de desenvolvimento humano.
Piaget acredita que as crianças elaboram espontaneamente seus conhecimentos de acordo com o estágio de desenvolvimento em que  se encontram.  Ou seja, a socialização da criança parte do seu conhecimento particular de mundo e vai progredindo. Para Vygotsky a criança desde o nascimento, vai formando uma visão desse mundo através da interação com adultos ou crianças mais experientes.
Piaget acredita que a aprendizagem subordina-se ao desenvolvimento, minimizando assim o papel da interação social. Vygotsky, ao contrário, defende  que quanto mais aprendizagem  mais desenvolvimento, ressaltando assim, a interação social como fator determinante para este processo.
Utilizando conhecimentos da  psicogenética para avaliar o desenvolvimento intelectual da criança, Piaget defendeu que a biologia associada a cultura, desenvolvia as habilidades do ser. Já para  Vygotsky, que utilizou a psicologia social para suas conclusões, a sociedade associada a cultura é quem desenvolve essas habilidades.
Apesar das diferenças entre ambos não se pode negar que é enorme a contribuição destas teorias para que se possa entender a formação do sujeito e ajudá-lo na estruturação de seu conhecimento.
Voltando ao legislador grego Licurgo, lá do comecinho desta postagem, observamos que o ambiente em que o cachorrinho foi criado influenciou diretamente na sua aprendizagem e consequentemente no seu comportamento.
Eu também  tive um cachorrinho criado com um coelhinho – daí o texto ter me chamado a atenção - que viviam brincando. Certa vez viajamos de férias e deixamos a empregada tomando conta da casa. Parece que a empregada aproveitou para tirar umas férias também, pois, segundo uma vizinha, o cachorrinho comeu o coelhinho. Ela assistiu ao massacre pela janela e nem seus gritos salvaram meu querido Rabicó. Claro que a empregada disse que apesar de ter se ausentado alguns dias, deixou ração suficiente para o Fred (meu assassino cruel). O conhecimento que minha digníssima empregada não tinha, era que cães são extremamente gulosos, e Fred deve ter comido toda a ração no mesmo dia, ficando sem nada para comer nos dias seguintes. Quer dizer, sem nada em termos, pois existia no mesmo ambiente um saltitante brejeiro e muito apetitoso coelhinho.
Moral da história: fatores sociais e culturais formam o ser, mas não podemos esquecer os fatores biológicos em hipótese alguma! Pelo menos não na educação de cachorrinhos!

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Conferência Nacional de Educação

logo_conae1
Segundo o Regimento Interno da Conferência Nacional de Educação, o objetivo principal da Conferência é construir estratégias para a organização de um Plano Nacional de Educação que estabeleça metas para a construção de um Sistema Nacional Articulado de Educação. A Conferência tem como base os seguintes eixos temáticos:...

domingo, 11 de abril de 2010

Novo Código de ética Médica

consulta
A partir do dia 13 de abril de 2010, próxima terça-feira, entrará em vigor o novo Código de Ética Médica.  Aqueles que  me acompanham desde o início sabem que este  blog  surgiu no período em que eu esperava alta de uma licença médica, e que eu estava meio revoltada com a forma que vinha sendo tratada por um determinado perito.  Mas acho que perito não conta, pois me parece estar ali para dizer que todos os amigos de profissão dele, que nos avaliam, são mentirosos, malcomunados conosco para nos dar uns dias de folga no trabalho. Este perito a que me referia, no fim da minha saga, até me pediu desculpas, mas isso porque levei de presente para ele um Código de ética, que dizia respeito à perícia médica. Hoje eu até o compreendo, embora espere nunca mais ter o desprazer de reencontrá-lo.
Terrível mesmo é entrar em um hospital, no momento mais vulnerável de nossas vidas, e encontrar um médico que disputa com o caixa do Banco do Brasil em polidez.  Sinceramente, todas as outras profissões eu perdoo, mas ao médico não consigo perdoar. O mais engraçado é que o tempo todo ouvimos falar de Policiais Militares que cometem erros fatais. Mesmo sabendo que  eles estão ali para proteger, pôr ordem, matar para atingir seu objetivo se necessário, o que faz com a que a truculência seja  parte do seu dia-a-dia, exigimos que sejam responsabilizados cada vez que erram. Já o médico, que não deveria agir com truculência nunca,  já que está ali exclusivamente para salvar vidas, deveria ser responsabilizado com, no mínimo, igual rigor. Não importa se os hospitais estão lotados, se faltam medicamentos, se trabalham em vários consultórios. Isso não é culpa do paciente, e nem desculpa para serem arrogantes, mal educados e mecânicos no atendimento!  Ainda é pior o fato de que isto não é privilégio de hospitais públicos,  acontece nos melhores hospitais do Brasil. Diz respeito à ética profissional, independente do local onde trabalham.
Certa vez quase perdi a calma com  uma medica de uma clínica particular - graças a Deus eu tenho plano de saúde! - que após me deixar 2 horas esperando, apreensiva com a febre da minha filhota, sequer chegou perto dela. Perguntou-me os sintomas da menina, sem levantar a cabeça do receituário, e após ouvir  passou a transcrever a medicação. Alegou tratar-se de uma virose (tudo é virose) e fim de papo, ou melhor, de consulta. Pedi, então, que ela me desse um laudo, que deixasse claro que estava descartando meningite, dengue, qualquer outra coisa mais grave, pois assim teria como responsabilizá-la caso estivesse errada. Foi a primeira vez que a “dita cuja” olhou em minha direção. Largou o receituário, levantou-se da cadeira, pediu que eu deitasse minha filha na cama, e passou a consultá-la como deveria. Findo a consulta, passou uns exames e finalmente assinou a papelada. Acho que era só uma virose mesmo! Mas vai que não fosse. Eu não vou “pagar para ver”.
O Drº Roberto d’Ávila, cardiologista com mais de 20 anos de profissão, atual Presidente do Conselho Federal de Medicina, sabe do que estou falando. Foi internado em um Centro Cirúrgico e reprovou a forma que foi tratado. “Acredito que para ser um melhor médico, todos os profissionais deveriam sentir na pele o que é ser paciente”, diz o Drº Roberto. Eu me atrevo a  acrescentar que, de preferência,  deveriam ser paciente de um hospital público para a lição ser mais produtiva e o aprendizado mais efetivo.
O novo Código de Ética assinala para o fim de um longo tempo  (há 22 anos o Código não era revisto) onde só os médicos podiam se pronunciar  decidindo, da forma que bem queriam, nossas vidas. Será que a prepotência dos médicos estão com os dias contados?
Bem, pelo menos os bons profissionais, não precisam sequer ler o Novo Código de Ética. Trazem seu próprio Código redigido no coração no minuto em que fizeram o Juramento de Hipócrates. Estes praticam sua profissão com consciência e dignidade,  e para nossa sorte, eles são a maioria!

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Chuvas causam menos tragédias que Homens

niteroi-museum
Eu não queria mais falar sobre a calamidade pública ocasionada pelas fortes chuvas no estado do Rio de Janeiro, mas diante dos absurdos que se vê e ouve, fica difícil falar de outra coisa. As imagens da tragédia são desoladoras! Mas confesso que nada me deixa mais irritada que os “especialistas em tragédia” de plantão. Algumas horas depois de um deslizamento já estão falando na impossibilidade de se encontrar alguém com vida. Lembro-me que no Haiti,  a cada pessoa encontrada com vida, dias e até semanas depois do terremoto, lá vinha os “especialistas” dando uma explicação para o fato. Então eles sabiam que era possível? Por que não disseram então?  Trabalhar com a possibilidade de salvar vidas é muito mais estimulante que com a convicção de resgatar os mortos. No Haiti várias pessoas foram encontradas ainda vivas graças a seus familiares e amigos que desafiaram a “maldita probabilidade”.
Hoje, o Governador do Rio de Janeiro, disse que não vê necessidade de vir ajuda de outros estados para realizar as buscas (ajuda humana, claro, financeira foi aceita na hora), pois a situação está sob controle. Controle de quem? O IML está lotado, as pessoas não têm como enterrar seus parentes, pois faltam os documentos perdidos nos escombros. Em alguns morros, a própria população, parentes e amigos, estão ajudando os bombeiros no resgate. Mas nosso governador diz que SE precisar de ajuda ele pedirá. Talvez ele acredite na previsão dos “pessimistas” de que não exista mais ninguém com vida.
Vi na televisão, ao vivo,  uma criança sendo retirada dos escombros e colocada em uma maca. A pobre menina tremia de frio, ali deitada, esperando talvez um bendito cobertor. Talvez as luzes das câmeras das emissoras de televisão estivesse aquecendo seus ossos, enquanto a equipe enorme de bombeiros - tão grande que não precisa de reforços -estivesse procurando a tal manta para aquecê-la e finalmente retirá-la daquele tormento. Se existe alguém lutando pela vida embaixo dos escombros, protegido por uma laje, bebendo água da chuva, dentro de um armário, embaixo de uma geladeira, ou qualquer outra possibilidade vista em outros acidentes semelhantes pelo mundo, sinto que estará apenas prolongando seu sofrimento. Afinal, segundo os “Especialistas”, devido ao gás metano encontrado no local e a quantidade de terra que causa sufocamento, diferentemente de outros tipos de desmoronamentos, dificilmente será encontrado alguém com vida.
Diante do que vejo, só me resta concordar com eles, ainda que não seja pelos mesmos motivos!

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Chuvas no Rio de Janeiro

 7339184_chuva_rio_de_janeiro_brasil_280_420Sabemos como será o desfecho desta trajédia. Possivelmente amanhã não haverá mais vestígios dessa chuva nas regiões nobres da cidade, pois tudo estará devidamente limpinho e organizado. As famílias soterradas vão levar um tempo para serem retiradas debaixo dos escombros, e serão enterradas uma a uma, conforme forem sendo encontradas. Os desabrigados ficarão em escolas, batalhões da polícia e abrigos provisórios, enquanto a imprensa achar conveniente mostrar a situação delas. Os desabrigados, entregues à própria sorte, procurarão outra área de risco para se instalarem, enquanto nossas autoridades fazendo “vista grossa”, aguardarão novos deslizamentos para novamente se pronunciarem.

Graças a Deus, no meu caso, o único incoveniente foi ver meu filho preso a um engarrafamento na saída da escola e eu sem ter como sair de casa para buscá-lo. E olha que isso já foi o suficiente para me deixar apavorada! 
Não pretendo falar aqui sobre as causas da tragédia, ou se ela poderia ser evitada. Todos estão cansados de ler assuntos falando sobre as ocupações desordenadas, descaso das autoridades com a população carente, lixo nas ruas e o blá, blá, blá de sempre. Estes debates estão muito longe de ter um fim.
Meus únicos questionamentos aqui serão os seguintes: De que adianta aparelhos de última geração para fazer a previsão do tempo se são usados apenas para preencher programação dos noticiários de televisão? Não dava para os alertas serem dados para a população de forma que as pessoas pudessem ser liberadas de seu trabalho e das escolas, ANTES do caos se instalar? De que adianta Defesa Civil em alerta, se a população sem nenhum aviso prévio, nada pode fazer para se proteger?  
Minha leitura deste alerta:
"Atenção Bombeiros e Defesa Civil! Estejam alertas! Vai vir um temporal daqueles! MUITOS IDIOTAS DESAVISADOS VÃO ESTAR NAS RUAS E OUTROS TANTOS DENTRO DE SUAS CASAS EM ÁREAS DE RISCO ! Preparem-se para os mesmos problemas de sempre, e que Deus nos proteja”

segunda-feira, 5 de abril de 2010

O Santo Sudário e Leonardo da Vinci

Enterro de Cristo, Spencer Collection Ms 151, f 155v, Santo Sudario
Acreditar que o Sudário de Turim é santo e foi a mortalha de Jesus cristo é tão bizarro quanto acreditar que foi uma obra do genial Leonardo da Vinci.
As pessoas têm tendência a debater teorias que consideram  ridículas, com outras igualmente ridículas, sem perceberem que estão sendo tão crédulas e iludidas quanto aqueles que tanto criticam. Dizer que a Igreja Católica forjou um manto para ludibriar seus seguidores, é no mínimo, falta de conhecimento dos fatos. Arcebispos da igreja na ocasião do aparecimento do misterioso tecido chegaram a escrever ao Papa falando acerca da possível falsificação, considerando-a uma maneira ardilosa de roubar dinheiro dos peregrinos. Na idade média chegou a ser proibido a sua exposição pública. Até hoje a Igreja não defende a autenticidade do tecido. Tanto que vez ou outra permite que ele seja estudado por pesquisadores e cientistas. Agora,  proibir a exposição do lençol, ou proibir os devotos de acreditar, isso realmente ela não faz. Deveria fazer?
Eu não sei se realmente ele cobriu o corpo de Jesus Cristo - vamos convir que nunca saberemos realmente qual corpo foi coberto naquele lençol - mas acho a tentativa de ridicularizar a fé daqueles que preferem acreditar que ali estava Jesus, é grotesca.
A própria Bíblia falava sobre um lençol de linho onde havia sido envolto o corpo de Jesus. Depois, ainda na Bíblia, encontramos relatos de que este lençol foi devidamente dobrado e se encontrava ao lado do túmulo. Nada mais foi dito sobre ele no “Livro Sagrado”. Mas não é difícil imaginar que aqueles que seguiam fielmente a Jesus jamais deixariam uma mortalha, contendo o “sangue derramado pela humanidade pelo filho de Deus”, jogada por lá. É claro que uma daquelas beatas devem tê-la guardada a sete chaves!
No ano de 544 e 944 volta-se a se falar no tal lençol. Os mais céticos talvez acreditem que estes manuscritos tenham sido forjados pela igreja, muito embora a menção feita a ele em 544 tenha sido de fontes não-evangélicas. Mas tudo bem, vamos pular para o tal ano em que ele passou a ser devidamente documentado, o ano em que reapareceu 1357. Na ocasião, não foi oferecida nenhuma explicação para a súbita aparição, nem a sua veneração como relíquia foi imediatamente aceita. Em 1532 o tecido foi danificado por um incêndio e pela água para apagar o fogo, sendo remendado, numa tentativa de reconstituição, anos depois. É evidente que tendo os estudos científicos sido realizados séculos mais tarde (1977 e 1988), sua eficácia pode ter sido severamente comprometida. Afinal, existia tecidos e tintas da Idade Média misturadas ao tecido original.  César Barta, físico do Centro Espanhol Sindologia, afirma "o tecido que constitui o Sudário de Turim é um exemplar único, não tendo sido encontrados tecidos similares nem da época de Cristo nem da Idade Média".  Aí já complica! Seria milagre? Como eu não estou aqui para defender que ele é datado da idade de Cristo, muito menos que se trata do corpo de Cristo ali desenhado, vou esperar estudos conclusivos para saber sua autenticidade. Entre estar do lado dos céticos ou do lado dos crédulos, prefiro ficar em cima do muro, de onde tenho uma visão provilegiada dos acontecimentos. De uma coisa estou convicta (ou quase), Leonardo da Vinci não tem nada a ver com isso. A menos que o gênio tenha sido tão gênio a ponto de pintar o tecido no plano superior, por só ter vindo ao mundo em 15 de abril de 1452, 95 anos após o reaparecimento do tecido, Leonardo da Vinci não pode ter sido o autor da obra “O Sudário de Turim” e ponto final.
Não me importo de suspender o ponto na posteridade, caso seja necessário. Mas por favor, me apresentem argumentos convincentes!
As vezes sinto que os não-cristãos, ou mesmo os agnósticos, sentem mais necessidade de provar suas teorias que o cristãos e religiosos de provar sua fé. Resta saber se tamanho empenho vem da necessidade de provar que estão certos, ou do medo que têm de estarem errados. Querem provar para os que crêem, ou para si mesmos? Será que é o medo, quem sabe, de padecerem no inferno caso estejam errados? … risos… Só tem uma coisa que já está mais que comprovado: Contra a Fé, não há argumentos!
E eu que queria tanto ser uma mulher de fé!…

sábado, 3 de abril de 2010

Jesus Cristo Retratado pelas Belas Artes

Jesus Cristo Retratado pelos Mestres
jesus_cristo

É só clicar na descrição da obra para visualizá-la:
- Cristo, o Redentor, de Giampietrino - Museu Bagatti Valsecchi, Milão, Itália.
- Pietá, de Michelangelo Buonarotti - Basílica de São Pedro, Vaticano.
-Cristo com a Cruz, de El Greco - Museu do Prado, Madri, Espanha.
- Desenho, de Rembrandt.
- Flagelação de Cristo (detalhe), de Antônio Francisco Lisboa (o Aleijadinho)
- Deixai vir a mim as criancinhas, de Vogel von Vogelstein - Galeria de Arte Moderna, Florença, Itália.
- Cristo Amarelo, de Paul Gauguin - Galeria de Arte Albright, Knox, Buffalo.
-Cristo de São João da Cruz, de Salvador Dalí - Galeria de Arte e Museu Glasgow, Glasgow, Escócia.
- Corpus hypercubus, 1954, Salvador Dalí
- A Última Ceia - Leonardo da Vinci

Coelhinhos e Ovinhos - Os Símbolos Pagãos da Páscoa - Tão Bonitinhos! Tão Deliciosos!


Pessach, cujo significado é passagem, é o nome da festa judaica em lembrança da libertação dos israelitas da tirania do Faraó, no Antigo Egito. Mas muitas pessoas ainda atribuem o nome à passagem do povo hebreu pelo Mar Vermelho, quando na verdade, é a passagem do "Anjo da Morte", que matou todos os primogênitos do País, desde os filhos dos prisioneiros até o filho do próprio Faraó. Depois desta última das dez pragas enviada por Deus ao Egito, e a pior delas, o povo Israelita foi finalmente libertado pelo Faraó. Que história triste! Quantos inocentes sacrificados!!!
No livro de Êxodo (antigo testamento), encontramos esta passagem, e a recomendação de que fosse sempre relembrada, diz o texto: "Conservareis a memória daquele dia, celebrando-o como uma festa em honra do Senhor. Fareis isto de geração em geração, pois é uma instituição perpétua" .

A Páscoa Cristã é um evento diferente, embora com nomes de mesma origem. Jesus Cristo era um judeu, sendo assim, evidente que cumprisse a recomendação de celebrar o pessach. A última ceia de Cristo teria sido um Seder de Pessach, jantar cerimonial judaico em que se recorda a história do Êxodo e a libertação do povo de Israel, e é realizado na primeira noite de Pessach. Segundo a bíblia, a morte de Cristo aconteceu em 14 de Nisã, dia do início de Pessach. Apesar de em alguns anos esta celebração cair no mesmo dia, este é um fato que dificilmente ocorre, pois são calendários diferentes e comemorações diferentes.

A páscoa entre os povos da antiguidade, era a comemoração do fim do inverno, época em que a Europa era terrivelmente castigada com a falta de alimentos, e o começo da primavera, época em que os campos renovados significavam o recomeço da vida. Eostre ou Ostera que simbolizava a fertilidade e o renascimento, segundo a mitologia anglo-saxã, era a "Deusa da Primavera". Dos cultos pagãos dedicados a esta Deusa originou-se a Páscoa (Easter, em inglês e Ostern em alemão), que acabou, talvez pelo fato de representar "renascimento", misturando-se às comemorações judaico-cristãs. Desta Páscoa Pagã surgiram as figuras do coelhinho e ovinhos de páscoa, que em momento algum são mencionados na Bíblia Sagrada, seja ela cristã ou judaica.

Apesar de achar que todas as razões para a comemoração da páscoa sejam igualmente merecidas e relevantes, a páscoa dos cristãos e a páscoa pagã, na forma da Deusa Eostre (onde entra o "nosso amigo coelhinho" e seus "ovinhos"), deveriam ser acontecimentos tão diferentes quantos as celebrações de Páscoas entre Judeus e Cristãos. Afinal, mesmo que caissem no mesmo dia, ainda seriam acontecimentos distintos.
De qualquer forma a tal lenda é muito bonitinha e contém uma moral digna de qualquer livro de literatura infantil. Pena que está sobrepondo-se às celebrações recomendadas por Jesus Cristo, pela maioria daqueles que se dizem cristãos! Mas aí é outra história. Vamos à Lenda de Eostre de onde surgiu a figura da Lebre (que depois passou a ser coelhinho) e os ovinhos (que agora são de chocolate) até porque no fim tudo se encaixa, se harmoniza, de acordo com o "belo espírito cristão"...

 A Lenda de Eostre
"Diz a lenda que Eostre tinha uma especial afeição por crianças. Onde quer que ela fosse, elas a seguiam e a Deusa adorava cantar e entretê-las com sua magia. Um dia, Eostre estava sentada em um jardim com suas tão amadas crianças, quando um amável pássaro voou sobre elas e pousou na mão da Deusa. Ao dizer algumas palavras mágicas, o pássaro se transformou no animal favorito de Eostre, uma lebre. Isto maravilhou as crianças. Com o passar dos meses, elas repararam que a lebre não estava feliz com a transformação, porque não mais podia cantar nem voar. As crianças pediram a Eostre que revertesse o encantamento. Ela tentou de todas as formas, mas não conseguiu desfazer o encanto. A magia já estava feita e nada poderia revertê-la. Eostre decidiu esperar até que o inverno passasse, pois nesta época seu poder diminuía. Quem sabe quando a Primavera retornasse e ela fosse de novo restituída de seus poderes plenamente pudesse ao menos dar alguns momentos de alegria à lebre, transformando-a novamente em pássaro, nem que fosse por alguns momentos. A lebre assim permaneceu até que então a Primavera chegou. Nessa época os poderes de Eostre estavam em seu apogeu e ela pôde transformar a lebre em um pássaro novamente, durante algum tempo. Agradecido, o pássaro botou ovos em homenagem a Eostre. Em celebração à sua liberdade e às crianças, que tinham pedido a Eostre que lhe concedesse sua forma original, o pássaro, transformado em lebre novamente, pintou os ovos e os distribuiu pelo mundo. Para lembrar às pessoas de seu ato tolo de interferir no livre-arbítrio de alguém, Eostre entalhou a figura de uma lebre na lua que pode ser vista até hoje por nós. Eostre assumiu vários nomes diferentes como Eostra, Eostrae, Eastre, Estre e Austra. É considerada a Deusa da Fertilidade plena e da luz crescente da Primavera.Seus símbolos são a lebre ou o coelho e os ovos, todos representando a fertilidade e o início de uma nova vida." Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Eostre
Seja qual for a origem da comemoração, temos que concordar que o maior importância desta data especial se encontra na possibilidade de nos renovarmos, revendo nossos conceitos e valores, renascendo para novas atitudes. Sendo assim, não faça do Coelhinho e dos Ovinhos a parte mais importante da sua comemoração. Quem deve comemorar os coelhinhos e ovinhos vendidos são os comerciantes. Nós, cristãos ou não, devemos aproveitar para ensinar aos nossos filhos valores morais de extrema importância para a formação de seres humanos. Depois que as crianças acabarem de procurar os ovinhos, que tal contar a história dos Hebreus e a luta de Moisés contra Faraó, a história de Jesus e a historia de Enostre também. Finalize a contação de histórias com uma linda oração e ... Feliz Páscoa!
Agora sim, vamos nos deliciar com os maravilhosos ovos de chocolate! Haja regime!
Related Posts with Thumbnails
 
Copyright 2009 Professora Maluquinha Powered by Blogger
Blogger Templates created by Deluxe Templates
Wordpress by Ezwpthemes